Que ele saiba que, invariavelmente, pode contar comigo, nos tempos de celebração e na travessia das longas noites escuras.
É dele também a minha mão. É dele também o meu abraço. É dele também a minha escuta. É dele também o meu olhar amoroso. É dele também os meus melhores sorrisos.
Que se saiba amado muito além do de vez em quando, do por causa de, do se.
Que se sinta amado como é, não interessa com que cara a circunstância esteja. Que se sinta amado simplesmente porque é...

Ana Jácomo
Não me peça para esquecer as cores, meu coração sempre andará com as lembranças felizes.
Tendo na visão do futuro, as flores, o voo dos pássaros, um lindo céu azul com nuvens desenhando belas formas...
E talvez um mar para banhar e salgar as manhãs.
Não me peça para esquecer a imensa beleza da vida.
Apesar de tudo o que já passei, de tantos dissabores, há sempre algo que movimenta a nossa esperança...
Uma criança que nasce para ser amada e ser feliz, uma flor que desabrocha para ser contemplada por quem quiser, um menino que cresce e segue um caminho repleto de luz...

Carol Timm

Afonso

O caminho começou no dia 21 de Dezembro de 2006, o Afonso nasceu em morte aparente, ficando com lesões cerebrais, que lhe causaram paralisia cerebral. Atravessámos longos dias de hospital, dias em que a dor e a preocupação não nos abandonavam mas, desde cedo, percebemos que era um lutador e todos os dias lutamos, com ele, para chegar onde lhe for possível e quem sabe… afinal é um caminho que se faz caminhando...

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Em evolução...


Hoje, o Afonsinho acordou muito bem disposto, comeu muito bem, enquanto víamos o burrinho trotro, que ele tanto gosta.

Enquanto lhe dou a papa, vou repetindo "É a papa; o Afonso está a papar a papa; a papa, é bom" por mais que me esforce a única coisa que ele faz é sorrir e dizer "é bom!", eu digo sim é bom, a papa e ele responde sorridente "é bom!".

Vou continuar a repetir "papa", algum dia há-de de conseguir dizer!

A caminho da escolinha, o choro do costume.

O Afonsinho é ao contrário das outras crianças, só pára de chorar quando entra na escolinha. Quando começamos a subir a escada começa logo a sorrir e quando vai para o colinho da P. já nem se lembra que vinha a chorar.

Hoje estiveram a pintar, a P. disse-me que o Afonsinho pintou com o pé (penso que todos os meninos pintam com os pés porque ainda são muito pequeninos), almoçou bem, sem birra e cada vez faz menos hiper-extensão.

A P. acha que ele evoluiu bastante neste mês e meio que está na escolinha, brinca, manipula com mais facilidade os objectos, já consegue estar de barriga para cima (posição dorsal) e já suporta por bons períodos a cadeirinha.

Disse-lhe que já tinha marcado reunião com o Conselho Executivo e que a Mj não ia mais. Se conseguíssemos trocar de educadora também, iria trabalhar com o Afonsinho primeiro em casa e só voltaria à escolinha após um período de adaptação e conhecimento. Ela disse-me que não seria necessário e que estava disponível para trabalhar com a educadora de IP mas, realmente a Mj não tinha vocação para o trabalho que era necessário desenvolver com o Afonsinho.

Contou-me que ontem o Afonsinho bolsou e ela entrou "pânico", que ele não estava bem, que me tinha que telefonar, ao que a Directora lhe respondeu que eram só uma calças e uma camisola sujas...

Após uma sestinha tivemos mais uma sessão de hipoterapia. Hoje correu tudo bem com o guia terapêutico e a fisioterapeuta. O Afonsinho portou-se muito bem e colaborou nos exercícios. Adorou fazer festinhas ao cavalo, puxou-lhe a crina e até pôs a boca junto do cavalo (viva!!!), sorrindo e vocalizando.

Depois da sessão, esteve a fazer festinhas num cão (pequeninho e meiguinho), esteve mais de 10 minutos em pé. Estava tão atento e interessado no cão que nem se apercebeu que estava em pé.

A fisioterapeuta, disse que ele nem parece o mesmo bebé. Quando ali chegou tinha imensa hiper-sensibilidade e era incapaz de tocar no cavalo. Acha que ele tem evoluído muito bem.

Muito bem, só boas noticias!

Continuamos o nosso caminho, evoluindo, devagarinho mas sempre, sempre para a frente...

5 comentários:

Mãe Sisa disse...

Devagar se vai ao Longe.
Parabéns por mais uma etapa ultrapassada.
Acredito que sim, que mais dia menos dia o teu Afonso estará a fazer corridas com o Guilherme ou a acompanhá-lo a fazer cambalhotas (como quando o vi na reportagem da TVI!).
Beijos

Carol Timm disse...

D.

Que belas novidades nos conta do Afonsinho! Fico muito feliz por todas essas novas conquistas do teu pequenino!

Beijos,
Carol

ClaudiaMG disse...

Só boas notícias "d", na Escola uma adaptação fantástica, nos Cavalinhos uma óptima evolução..."devagar se vai ai longe".
É interessante verificar como as crianças são todas diferentes, por exemplo o Guilherme sempre detestou estar de barriga para baixo....fazia cada birra e chorava tanto que chegámos a trocar de sala de fisioterapia para não inomodar os outros meninos. Quanto a tocar nos cavalos era outra situação que ele detestava e por isso eu também acabei por não insistir muito, porque também os horários eram complicados.
Assim só vejo que esse menino está cheio de coisas boas e por esse andar acredito cada vez mais que em breve iremos ter grandes surpresas.

Beijinhos

Maria disse...

Boa meu pequeno héroi,tenho razão mamã Dina, eu disse que sou bruxinha boa EH.EH.EH...mas como somos pequenos têm que nos dar tempo,mesmo assim temos dado passos de gigante,até já fazemos festas aos cachorros e ficamos em pé VIVA...VIVA...O G. só faz gato sapato com a minha cadela labradora que é enorme mas ele é quem manda nela,nos cães pequenos grita,chora e foge a tremer de mêdo, claro fica com o tónus aumentado do lado direito,mas com umas beijocas e massagens passa rapidinho.Fiquei muito feliz com as noticias do Afonsinho que bom. Beijinhos com muito carinho para o Afonsinho e todos vós

Anónimo disse...

Gosto de começar o dia assim, a ler que o Afonsinho está a evoluir tão bem. Então ficou em pé só para fazer festinhas a um cão? sabes uma coisa eu acho que os animais fazem milagres com as crianças, aumentam a sua auto-estima, estimulam o seu desenvolvimento motor e emocional. Eu tenho um gato em casa e confesso que o animal era um pouco martirizado pelo meu terrorista até há bem pouco tempo, mas aos poucos a relação do meu filho com o gato foi evoluindo de tal forma que acho que neste momento ele não tem duvidas que o gato é um membro da família, aprendeu a fazer festas como o gato gosta e a respeitar o gato, etc... acho que o gato que tenho em casa é por si só uma terapia para o meu bebé. Ele que não diz quase nada que se entenda aprendeu esta semana a dizer na perfeição GATO!

Beijinhos
Cristina
http://blogs.clubedospais.pt/ccsantos

O que é paralisia cerebral?

"A criança com Paralisia Cerebral tem uma perturbação do controlo da postura e movimento, como consequência de uma lesão cerebral que atinge o cérebro em período de desenvolvimento.
(...)A criança com Paralisia Cerebral pode ter inteligência normal ou até acima do normal."

Retirado de "A criança com paralisia cerebral" - Guia para os pais e profissionais da saúde e educação APPC
Hoje caminho, o céu está azul, o sol brilha esplendoroso, oiço o chilrear dos passarinhos e o silêncio...
O silêncio no meu coração,
Os momentos, os meus momentos felizes...
Oiço o riso das crianças, cheiro a maresia que vem do mar, caminho descalça pela areia, continuo a sonhar.
Sonho, que o teu limite é o sonho e que o teu caminho, tem tantos obstáculos, uns já vencidos e outros, tantos outros, por vencer...
Dificil, é este nosso caminho mas, sei que embora seja feito devagar, muito devagar, sei que chegaremos ao destino deste nosso caminho que se faz caminhando...

Dina

Sou uma caminhante na estrada do aprendizado do amor. Às vezes, exausta, eu paro um pouquinho. Cuido das dores. Retomo o fôlego. Depois, levanto e seduzida, enternecida pelo chamado, cheia de fé, eu prossigo. Um passo e mais outro e mais outro e mais outro, incontáveis. Sei de cor que não é fácil, mas sei também que é maravilhoso olhar para o caminho percorrido e perceber o quanto a gente já avançou, no nosso ritmo, do nossos jeito, um passo de cada vez.

Ana Jácomo
E Deus continua susurrando: Não desista, o melhor ainda está por vir...
Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.

Dalai Lama

O amor é um caminho que clareia, progressivamente, à medida em que o percorremos, como se cada passo nosso fizesse descortinar um pouco mais a sua luz.
A jornada é feita de dádivas e alegrias, mas também de imprevistos, embaraços, inabilidades, lições de toda espécie.
De vez em quando, tropeçamos nos trechos mais acidentados. Depois, levantamos e prosseguimos: o chamado do amor é irrecusável para a alma. Desistir dele, para ela, é como desistir de respirar.


Ana Jácomo
Quando eu deixei de olhar tão ansiosamente para o que me faltava e passei a olhar com gentileza para o que eu tinha, descobri que, de verdade, há muito mais a agradecer do que a pedir. Tanto, que às vezes, quando lembro, eu me comovo. Pelo que há, mas também por conseguir ver.

Ana Jácomo
Nem sempre querer é poder, porque às vezes a gente quer, mas ainda não pode. Ainda não consegue realizar.
Não faz mal: a vontade que é legítima, alinhada com a alma, caminha conosco, paciente, fresca, bondosa, até que a gente possa. Às vezes, isso parece muito longe, mas é só o tempo do cultivo. As flores, como algumas vontades, também desabrocham somente quando conseguem


Ana Jácomo
Depois de cada momento de fraqueza, meu coração prepara, em silêncio, uma nova fornada de coragem.
Às vezes cansa, sim, mas combinamos não desistir da força que verdadeiramente nos move.

Ana Jácomo

Todos os direitos reservados