Que ele saiba que, invariavelmente, pode contar comigo, nos tempos de celebração e na travessia das longas noites escuras.
É dele também a minha mão. É dele também o meu abraço. É dele também a minha escuta. É dele também o meu olhar amoroso. É dele também os meus melhores sorrisos.
Que se saiba amado muito além do de vez em quando, do por causa de, do se.
Que se sinta amado como é, não interessa com que cara a circunstância esteja. Que se sinta amado simplesmente porque é...

Ana Jácomo
Não me peça para esquecer as cores, meu coração sempre andará com as lembranças felizes.
Tendo na visão do futuro, as flores, o voo dos pássaros, um lindo céu azul com nuvens desenhando belas formas...
E talvez um mar para banhar e salgar as manhãs.
Não me peça para esquecer a imensa beleza da vida.
Apesar de tudo o que já passei, de tantos dissabores, há sempre algo que movimenta a nossa esperança...
Uma criança que nasce para ser amada e ser feliz, uma flor que desabrocha para ser contemplada por quem quiser, um menino que cresce e segue um caminho repleto de luz...

Carol Timm

Afonso

O caminho começou no dia 21 de Dezembro de 2006, o Afonso nasceu em morte aparente, ficando com lesões cerebrais, que lhe causaram paralisia cerebral. Atravessámos longos dias de hospital, dias em que a dor e a preocupação não nos abandonavam mas, desde cedo, percebemos que era um lutador e todos os dias lutamos, com ele, para chegar onde lhe for possível e quem sabe… afinal é um caminho que se faz caminhando...

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

No ano Novo

No ano novo, bem mais do que nos outros, quero alimentar o meu coração com mais daquilo que eu sei que ele gosta e é capaz de nutri-lo. Quero escolher com todo amor os ingredientes de cada refeição. Cozinhar mais vezes para ele. Usar os temperos que mais aprecia. Dedicar um tempo maior para preparar a mesa. E, depois de servi-lo, desfrutar a delícia de vê-lo saborear o que preparei. Curtir o conforto de me saber responsável pelo seu contentamento. Aquele gostinho bom do “fui eu que fiz pra você”.

No ano novo, bem mais do que nos outros, quero ter mais gentileza com os meus sentimentos. Com todos eles, sem exceção. Quero ter mais habilidade para ouvir o que têm pra me contar, sem tentar abafar a voz daqueles que podem me trazer desconforto. Quero deixar que se expressem, exatamente com a cara que têm. Que me façam surpresas. Que me apontem as mudanças que já aconteceram e me falem sobre aquelas que pedem para acontecer. Quero que me mostrem as regiões ainda feridas em mim que precisam de olhar, de cura ou de perdão. Não quero sentimento acuado, amordaçado, varrido pra debaixo do tapete. Quero ser a melhor confidente de cada um.

No ano novo, bem mais do que nos outros, quero ter mais cuidado com os sentimentos alheios. Mais compaixão. Mais empatia. Mais tolerância. Suspender o julgamento. Trocar a crítica pelo respeito. Parar de achar que eu faria diferente, que eu diria diferente, quando não é a minha vida que está na berlinda. Quero lembrar mais vezes o quanto nos exige cada superação, cada avanço, cada conquista, cada descoberta das chaves capazes de abrir os cárceres que inventamos para nós. Quero lembrar mais vezes do quanto eu falho, mesmo quando quero acertar. Do quanto eu ainda me atrapalho comigo. Do quanto preciso ser generosa com a minha trajetória a cada novo projeto anunciado pela minha alma. A cada nova tentativa. A cada novo tropeço.

No ano novo, quero me encantar mais vezes. Admirar mais vezes. Compartilhar mais amor. Dançar com a vida com mais leveza, sem medo de pisarmos nos pés uma da outra. Quero fazer o meu coração arrepiar mais frequentemente de ternura diante de cada beleza revista ou inaugurada. Quero sair por aí de mãos dadas com a criança que me habita, sem tanta pressa. Brincar com ela mais amiúde. Fazer arte. Aprender com Deus a desenhar coisas bonitas no mundo. Colorir a minha vida com os tons mais contentes da minha caixa de lápis de cor. Devolver um brilho maior aos olhos, aos dias, aos sonhos, mesmo àqueles muito antigos, que, apesar do tempo, souberam conservar o seu viço. Quero sintonizar a minha frequência com a música da delicadeza. Do entusiasmo. Da fé. Da generosidade. Das trocas afetivas. Das alegrias que começam a florir dentro da gente.

No ano novo, bem mais do que nos outros, quero ter atenção com relação ao que sinto, ao que vejo, ao que propago. Mais cuidado para não me intoxicar com os apelos do medo e do pessimismo, tão divulgados nesses nossos tempos. Usufruir mais a sábia isenção que nos permite continuar a ver o melhor para a nossa vida e para a vida de todos os seres, apesar de. Não me importa se eu olhar na contramão: quero ter a coragem de sustentar a minha crença de que o amor, a paz, a luz, hão de prevalecer na Terra, e, enquanto isso não acontecer, quero dirigir também a minha energia ao propósito de que prevaleçam em mim.

No ano novo, bem mais do que nos outros, eu quero me sentir feliz. Uma felicidade que não está condicionada à realização das coisas que, particularmente, anseio para mim. Para a minha história nesse mundo. Para essa personagem que eu visto. Quero, antes de qualquer outra razão, me sentir feliz por encontrar descanso e contentamento no meu coração. Por tocar com o sentimento a preciosidade da vida. Por saber que existem coisas para eu realizar enquanto estou por aqui. Por acreditar que a maior proposta da idéia humana é a felicidade. Não importa quantas nuvens eu possa ter que dissipar no ano que começa: gente, por natureza, é sol, e eu quero viver esse lume.

Asa livre

Para a minha querida mãe.

Fotografia de AGomes


«Como um pássaro que vai
Quando uma porta se abre
Não olhes para trás e vai depressa
Como a noite quando cai
Abraçando a cidade
Deixa simplesmente que aconteça

Abre as asas e vai
Das tuas asas as minhas também
Abre as asas, eu fico bem

Como um barco que se afasta
De uma das margens do rio
Não há um só lado na vida
Quando um beijo já basta
Corpo quente em corpo frio
Deixa que aconteça a despedida

Abre as asas e vai
Das tuas asas as minhas também
Abre as asas , eu fico bem

E que a despedida
Seja só o recomeço
Livre asa solta
Voa alto, eu não te esqueço»

Polo Norte

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Brinquedos novos...

Desde terça-feira, depois da sessão de osteopatia, que o Afonsinho tem estado a dormir melhor, chegando mesmo a dormir algumas noites inteiras.

Hoje, acordou às cinco e meia mas, voltou a adormecer e acordou já perto das nove horas.

Hoje,tivemos mais um dia caseiro, o tempo está péssimo, chuva e vento e decidimos não ir à piscina.

Ficámos em casa a explorar os novos brinquedos.

A tarde foi passada de forma tranquila e o senhor Afonso, não dormiu. Também com tantas novidades, a excitação é mais do que muita.

Para já o brinquedo favorito é um comboio do Nody que anda sozinho.

domingo, 27 de dezembro de 2009

No Hard Rock Cafe

Ontem, foi um dia em cheio e depois do cinema, jantar no Hard Rock Cafe.


Temos com estes nossos amigos uma história de vida muito curiosa. Os pais são meus amigos de infância, os nossos primeiros filhos, andaram juntos desde o infantários e os nossos segundos filhos também. Hoje os mais velhos já têm quinze anos e os mais novos onze...

Foi, como sempre, um jantar muito animado e divertido.

O Afonsinho esteve sempre muito bem disposto e animado. Ouvimos os maiores elogios e era enorme a felicidade dos nossos amigos, que acharam o Afonsinho fantástico, com enoormes progressos...

Nós também ficámos muito felizes!!!

Dia de preguiça

Hoje, foi um dia assim, de preguicite aguda...

Mimo e mais mimo e ainda mais mimo, lá pelo meio, uma hora com as talinhas e alguns exercícios para as articulações dos pés e das mãos...

Excessiva, quem eu?

As luzes da Cidade...

Para terminar a noite, fomos dar um passeio pela cidade de Lisboa, para ver as iluminações.

Rossio, Rua do Carmo, Chiado, Rua Augusta, Rua da Conceição, Praça da Figueira...

Foi um passeio que durou cerca de duas horas e foi maravilhoso, quer pela companhia, quer pela cidade.

Há muito tempo, que não passeava em Lisboa à noite e realmente esta cidade tem sobre mim, um enorme fascinio, um verdadeiro encanto...

O primeiro filme

Ontem e pela PRIMEIRA VEZ, o Afonsinho foi ao CINEMA.

Fomos ver o filme "Alvim e os esquilos 2", o Afonsinho ADOROU, esteve muito atento e interessado, durante duas horas!?, chegando mesmo a rir-se de algumas cenas.

Foi simplesmente incrível, fantástico, maravilhoso!!!

O nosso menino, não pára de nos surpreender e por incrível que pareça, foi ao cinema com 3 anos e poucos dias, ao contrário dos irmãos que foram ao cinema pela primeira vez, aos quatros anos.

Este menino é mesmo, muito mas, muito ESPECIAL...

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009


O nosso Natal

O nosso Natal, foi muito calmo e tranquilo, as crianças encheram os nossos corações de felicidade e de amor com os seus sorrisos e a sua alegria.

O jantar foi na nossa casa, com o meu pai, os meus irmãos, a minha cunhada e os meus lindos sobrinhos M. e I.
Na nossa família (na família do meu lado), as crianças desde cedo, sabem que o Pai Natal não existe e essa tarefa é atribuída, em cada ano, a um dos tios ou ao avô. Este ano foi o meu sobrinho I. que quis ser o Pai Natal. Começámos a abrir os presentes perto das onze da noite e acabámos já depois da meia-noite.

Este ano o Afonsinho manteve-se acordado mas, estava com muito, muito sono e adormeceu após a abertura do ultimo presente.

Os presentes, uma vez mais, foram muitos...

Os miudos e os menos miudos gostaram da festa de Natal. O Afonsinho recebeu tantos presentes, que vamos demorar, pelo menos, uns seis meses para conseguirmos descobri-los todos...

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Osteopatia e hidroterapia

Hoje, iniciámos o dia com mais uma sessão de terapia sacro-craniana. O Afonsinho hoje esteve muito choroso e muito queixoso e foi com alguma dificuldade que a Sara trabalhou com ele.

Hoje, chegou a nova cadeira e o Afonsinho já se começou a sentar nela, com uma boa tolerância, vamos ver se é desta que começamos a vencer esta dura batalha do sentar numa cadeira.

De tarde e depois de o Afonsinho ter feito uma mini sestinha, seguimos para a piscina, para mais uma aula de hidroterapia.

A aula foi muito divertida e animada. Continuámos a trabalhar com os cartões de natal.

Hoje o Afonsinho esteve imenso tempo no chouriço a nadar e a fazer controlo de cabeça. A Rita "empurrava" para mim e por várias vezes, por pouquinho tempo, o Afonsinho conseguiu ficar sozinho sem se virar.

VIVA !!!!

Hoje, houve imensos mergulhos, pequenos, grandes, no fundo da piscina, a vir à superfície sozinho... Mergulhos para todos os gostos!!!

O Afonsinho estava muito animado e feliz...

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Três anos


Querida avó, querido avô, queridos padrinhos, tios, primos e amigos, obrigada por partilharem este dia tão especial connosco.
Todos juntos contribuímos para que o aniversário do Afonsinho fosse um dia de enorme alegria e felicidade...

Dedicatória


«Qual prenda de maior valor poderei conceder-te neste dia?

Qual recordação, qual lembrança?

Que palavras, que dedicatória?

Tudo é complexo e de difícil decisão quando nos tornamos crescidos...

Qual prenda de maior valor tem teu sorriso, tua expressão, quando toco em tua mão e pelo olhar alcanças-me o coração num comunicar de sentidos.

Qual gratidão te poderei conceder, quando tu me ofereces diariamente a esperança e me ensinas a acreditar...

Precisamente no teu dia, tomei coragem para expor este sentimento de amizade e amor que te transmito, porque é de todas as lições aquela em que mais acredito.

Beijinho grande e um feliz aniversário Principezinho doce.»

S.
21 de Dezembro de 2009

Mensagem enviada pela educadora de ensino especial, que este ano acompanha o Afonsinho

Parabéns!!!


O dia de aniversário do Afonsinho, começou às duas da manhã, altura em que acordou para beber o seu leitinho e lhe cantámos os parabéns, eu e o papá.
Adormeceu de imediato ao meu colinho, o papá foi-se deitar mas, eu fiquei mais um bocadinho com o Afonsinho enroscadinho no meu colo, uma sensação tão boa...
Sentir a sua pele na minha, o seu cheiro, ainda de bebé, a sua maciez...
Foi um momento vivido de forma intensa, de tal forma, que só o fui deitar às quatro da manhã...
Claro, que cada aniversário me provoca, obviamente, alguns momentos de reflexão... mas, a verdade é que hoje, em especial durante esta madrugada, com ele aninhado a dormir tranquilamente ao meu colo apenas conseguia pensar e sentir a enorme felicidade de o ter a meu lado...
Não poderia, de forma alguma, viver sem o seu olhar, o seu sorriso de menino traquina, os seus lindos caracóis de cor de oiro, sem o seu toque, o seu cheiro...
A verdade é que hoje, senti, ainda mais, se tal é possível um amor intenso e incondicional por este menino, que nasceu no primeiro dia de Inverno e realmente os seus primeiros dias foram frios, cinzentos, invernais mas, hoje passados três anos apenas me lembro, de como me sinto feliz e privilegiada, por o ter na minha vida...

domingo, 20 de dezembro de 2009

Festa de Natal - Hidroterapia

Ontem, foi dia da Festa de Natal na piscina e nós levámos connosco para além de balões coloridos, um enorme sorriso de felicidade e de alegria, por estarmos em família e por que adoramos a nossa Ritinha.

Como seria de esperar, o Afonsinho estava super feliz .

Estivemos a fazer lateralizações, quer dizer o papá e o Afonsinho, porque eu a Rita e a C. estávamos mesmo era na conversa, depois exercícios no chouriço acompanhado de canções de natal e cartões com fotografias alusivas à quadra. O Afonsinho esteve a vestir o pai natal e deu-lhe uma fatiota vermelha em vez de um pijama verde, estivemos a fazer labirintos com uma caneta fantástica, e que eu não conhecia, que escreve mesmo com água.

Depois como não podia deixar de ser, mergulhos e mais mergulhos, com a Ritinha e com o papá. A nossa festa acabou na jacuzzi e com o Afonsinho a presentear.nos com enormes sorrisos, gargalhadas e o já usual é bom"...

video

video

Foi uma manhã muito bem passada, já faz um ano que estamos com a Rita e sentimos-nos privilegiados por ter a enorme felicidade dela fazer parte da nossa vida e de sermos amigos.

Obrigada querida Rita, por caminhares de mãos dadas connosco...

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Férias de Natal

Hoje acordámos sem pressa, com muita preguiça e tudo foi feito lentamente.

Depois do pequeno almoço, seguimos para a escolinha.

Hoje é o ultimo dia de escola do Afonsinho, pois vamos entrar nas férias de natal. O balanço deste primeiro periodo é positivo, apesar das dificuldades de adaptação, uma vez que por esta altura, todos os problemas já foram ultrapassdos e o Afonsinho está bem acompanhado, quer pelas educadoras de sala, quer pela educadora de ensino especial.

Quando o fui buscar, ainda estava a dormir e acabámos por chegar tarde à terapia da fala.

O Afonsinho esteve a trabalhar com o switch no computador mas, hoje não gostou dos jogos, apenas prestando atenção a uma canção do pai natal e a um anuncio, depois terapia ocupacional.

Esteve a fazer integração sensorial, exercícios que adora e em que colabora totalmente.

As férias de natal chegaram e nós vamos aproveitá-las ao máximo. Não vamos à escola, não há terapias, abrimos excepção para a hidroterapia, onde o Afonsinho está como "peixe na água" e para a osteopatia sacro-craniana.

Agora é tempo de descansar, de ganhar novas energias, de brincar muito, porque temos um ano de 2010, cheio de trabalho à nossa frente, afinal o nosso caminho., continua a ser um caminho que se faz caminhando...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Voltámos às terapias

Após uma mini paragem, regressámos hoje à escolinha e às terapias.

Na escola correu tudo bem. O Afonsinho teve apoio extra com a educadora de e.e, esteve muito bem nas actividades desenvolvidas, almoçou e dormiu muito bem.

Depois da escolinha seguimos para a Liga, para mais uma sessão de terapia ocupacional e de fisioterapia.

O Afonsinho portou-se muito bem e colaborou nos exercícios.

Hoje esteve sentado a brincar com um xilofone enorme de madeira, cada tentativa para tocar com a mãos, foi uma tentativa BEM sucedida, fez o movimento com enorme facilidade e utilizou a força correcta de tal forma que comentei com a terapeuta, que ainda não havia muito tempo, que o Afonsinho fazia aquele movimento quinze vezes, para conseguir ter um movimento com sucesso.

Pois é, tantos e tantos passinhos, todos eles tão importantes, mas tão pequeninhos que nos esquecemos o que já tivemos que ultrapassar para chegar onde JÁ estamos....

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Consulta de Gastro e Dietista

Hoje tivemos consulta de gastro. Foi uma daquelas consultas sem nada para dizer...

Foi inicialmente "visto" por uma interna a quem explicámos o problema da desregulação térmica e da alteração da alimentação, de pastosa para sólidos. A médica olhou para ele, disse que ele estava muito bem e que queria vê-lo daqui a seis meses e... viemos-nos embora...

Depois consulta com a dietista. Gostou muito de o ver, disse que eram visível grandes evoluções nos últimos seis meses, alterou o leite de meio-gordo, para gordo e disse-nos para ao jantar fazer uma refeição mais pastosa, com mais calorias e que o obrigasse a gastar menos energia.

Assim mantém-se o esquema alimentar: Cereais ao pequeno-almoço, carne/peixe c/ arroz, batata ou massa, legumes ou leguminosas ao almoço e fruta, pão e iogurte ao lanche intercalado com cereais, jantar igual ao almoço acrescentando a sopa e com a comida pastosa, à ceia um biberão de leite. Continua a fazer o suplemento e tem que ser pesado daqui a dois meses, para ver se o peso aumenta.

Voltamos-nos a encontrar no próximo dia 7 de Janeiro, porque a médica/dietista faz questão de acompanhar o Afonsinho na consulta de fisiatria, pois quer que seja acompanhado por mais especialidades dentro do hospital, como na consulta de desenvolvimento. A opinião dela é que não se justifica o Afonsinho ser seguido particularmente quando tem direito a ser seguido no hospital e indicou-nos também um neuro-pediatra, dizendo que ia marcar uma consulta e que se gostássemos dele, depois pediriam o processo ao HSFX.

A manhã acabou por valer a pena, não pela consulta de gastro mas, pelo interesse e pela ajuda da médica/dietista. Nós somos a favor de experimentar. Pois não há nada como experimentar para depois tomar decisões.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Oclusão

Hoje não fui à escolinha, porque a mamã está muito constipadinha e eu fiquei a fazer-lhe companhia.

Depois de tomar o pequeno almoço, a mamã começou o tratamento para o meu olhinho.

Estou a portar-me muito bem, não fiz qualquer birra e não estou a demonstrar desconforto.

A mamã colocou o penso com o senhor ratinho e ficou bem giro.

Afonsinho

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Chegou o frio

O Afonsinho passou mal a noite de sexta-feira e teve mesmo febre, por isso não fomos à acunpuctura no sábado de manhã e passámos o dia em casa.

No domingo, acordou um bocadinho melhor, apesar da noite não ter sido famosa e como estava uma bela manhã de sol decidimos ir um bocadinho ao parque.

Foi mesmo só um bocadinho, porque estava muito mas, mesmo muito frio.

O Afonsinho e a C. estiveram a fazer rappel, a andar de baloiço dentro de um cesto gigante e a andar de escorrega.


O Afonsinho estava muito bem disposto, sorridente e feliz e por incrível que pareça adorou andar de baloiço e conseguiu manter-se sentado sozinho?!

Foi pena estar tanto frio e não podermos usufruir um bocadinho mais mas, oportunidades não irão faltar e ficámos a conhecer mais um espaço muito agradável e muito divertido.

A tarde foi passada em casa, já com a mamã a demonstrar sinais de uma bela constipação, que se veio a confirmar durante a noite e o dia de hoje.

O Afonsinho voltou a não querer dormir e para grande desespero nosso voltou a acordar às três horas da manhã e só voltou a adormecer às sete.

Este miúdo tem mesmo o relógio avariado!!!

Claro que acordou já perto das nove e meia e chegámos à escolinha quase perto do fim do período de actividades com a educadora de e.e.

Quando o fui buscar disseram-me que hoje esteve muito chato, adormeceu muito tarde e depois tiveram que o acordar para lhe dar o lanche, por forma a estar despachado a tempo da consulta de oftalmologia.

Vamos ver como corre esta noite...

O que é paralisia cerebral?

"A criança com Paralisia Cerebral tem uma perturbação do controlo da postura e movimento, como consequência de uma lesão cerebral que atinge o cérebro em período de desenvolvimento.
(...)A criança com Paralisia Cerebral pode ter inteligência normal ou até acima do normal."

Retirado de "A criança com paralisia cerebral" - Guia para os pais e profissionais da saúde e educação APPC
Hoje caminho, o céu está azul, o sol brilha esplendoroso, oiço o chilrear dos passarinhos e o silêncio...
O silêncio no meu coração,
Os momentos, os meus momentos felizes...
Oiço o riso das crianças, cheiro a maresia que vem do mar, caminho descalça pela areia, continuo a sonhar.
Sonho, que o teu limite é o sonho e que o teu caminho, tem tantos obstáculos, uns já vencidos e outros, tantos outros, por vencer...
Dificil, é este nosso caminho mas, sei que embora seja feito devagar, muito devagar, sei que chegaremos ao destino deste nosso caminho que se faz caminhando...

Dina

Sou uma caminhante na estrada do aprendizado do amor. Às vezes, exausta, eu paro um pouquinho. Cuido das dores. Retomo o fôlego. Depois, levanto e seduzida, enternecida pelo chamado, cheia de fé, eu prossigo. Um passo e mais outro e mais outro e mais outro, incontáveis. Sei de cor que não é fácil, mas sei também que é maravilhoso olhar para o caminho percorrido e perceber o quanto a gente já avançou, no nosso ritmo, do nossos jeito, um passo de cada vez.

Ana Jácomo
E Deus continua susurrando: Não desista, o melhor ainda está por vir...
Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.

Dalai Lama

O amor é um caminho que clareia, progressivamente, à medida em que o percorremos, como se cada passo nosso fizesse descortinar um pouco mais a sua luz.
A jornada é feita de dádivas e alegrias, mas também de imprevistos, embaraços, inabilidades, lições de toda espécie.
De vez em quando, tropeçamos nos trechos mais acidentados. Depois, levantamos e prosseguimos: o chamado do amor é irrecusável para a alma. Desistir dele, para ela, é como desistir de respirar.


Ana Jácomo
Quando eu deixei de olhar tão ansiosamente para o que me faltava e passei a olhar com gentileza para o que eu tinha, descobri que, de verdade, há muito mais a agradecer do que a pedir. Tanto, que às vezes, quando lembro, eu me comovo. Pelo que há, mas também por conseguir ver.

Ana Jácomo
Nem sempre querer é poder, porque às vezes a gente quer, mas ainda não pode. Ainda não consegue realizar.
Não faz mal: a vontade que é legítima, alinhada com a alma, caminha conosco, paciente, fresca, bondosa, até que a gente possa. Às vezes, isso parece muito longe, mas é só o tempo do cultivo. As flores, como algumas vontades, também desabrocham somente quando conseguem


Ana Jácomo
Depois de cada momento de fraqueza, meu coração prepara, em silêncio, uma nova fornada de coragem.
Às vezes cansa, sim, mas combinamos não desistir da força que verdadeiramente nos move.

Ana Jácomo

Todos os direitos reservados