Que ele saiba que, invariavelmente, pode contar comigo, nos tempos de celebração e na travessia das longas noites escuras.
É dele também a minha mão. É dele também o meu abraço. É dele também a minha escuta. É dele também o meu olhar amoroso. É dele também os meus melhores sorrisos.
Que se saiba amado muito além do de vez em quando, do por causa de, do se.
Que se sinta amado como é, não interessa com que cara a circunstância esteja. Que se sinta amado simplesmente porque é...

Ana Jácomo
Não me peça para esquecer as cores, meu coração sempre andará com as lembranças felizes.
Tendo na visão do futuro, as flores, o voo dos pássaros, um lindo céu azul com nuvens desenhando belas formas...
E talvez um mar para banhar e salgar as manhãs.
Não me peça para esquecer a imensa beleza da vida.
Apesar de tudo o que já passei, de tantos dissabores, há sempre algo que movimenta a nossa esperança...
Uma criança que nasce para ser amada e ser feliz, uma flor que desabrocha para ser contemplada por quem quiser, um menino que cresce e segue um caminho repleto de luz...

Carol Timm

Afonso

O caminho começou no dia 21 de Dezembro de 2006, o Afonso nasceu em morte aparente, ficando com lesões cerebrais, que lhe causaram paralisia cerebral. Atravessámos longos dias de hospital, dias em que a dor e a preocupação não nos abandonavam mas, desde cedo, percebemos que era um lutador e todos os dias lutamos, com ele, para chegar onde lhe for possível e quem sabe… afinal é um caminho que se faz caminhando...

terça-feira, 16 de junho de 2009

Rodeados de AMOR...


Hoje, acordámos com um dia cheio de sol, a boa disposição pairava na "barraca do cigano".

Amanhã acabam algumas obras na cozinha, ainda falta pintar e colocar os rodapés mas, pelo menos, vamos deixar de ter os cheiros de todas as cozinhas do prédio. O quarto da C. e do Afonsinho também fica pronto amanhã, faltam os halls de entrada que ficam prontos até 6ª feira assim como a cozinha. Vamos ter um fim de semana com limpeza geral e o resto, casas de banho e sala, ficam para Setembro.

Estou mesmo fartinha das obras...

O Afonsinho voltou a dormir a noite toda e acordou bem disposto.

A caminho da escola tivemos boa disposição e tranquilidade.

Hoje teve a ultima sessão com a Educadora de Ensino Especial e esteve muito bem, a partir da próxima terça-feira esta actividade vai ser substituída pela terapia sacro-craniana até irmos de férias.

Mais uma actividade que acaba, agora vamos devagarinho diminuindo até chegarem as férias.

Já não fazemos hipoterapia e piscina, mantemos a escolinha, a fisioterapia, a terapia da fala, a terapia ocupacional, a acunpuctura e reforçámos a sacro-craniana.

Depois de tantos dias seguidos na piscina, quem poderia pensar que iria ter saudades?

É verdade, hoje tive mesmo saudades da natação e o Afonsinho, de certeza, também!!!

De tarde fisioterapia e terapia da fala.

Quando chegámos tínhamos uma surpresa à nossa espera, duas estagiárias de fisioterapia, para assistirem à sessão do Afonsinho e uma das estagiárias era?
Claro, a "nossa" Ritinha!!

Na fisioterapia esteve a fazer trabalho sentado e de joelhos, controlo de cabeça e do tronco, enquanto maniupulava alguns objectos, o livro da festa (com musica) que ele adora, a mamã canguru, o caracol...
Ao contrario da ex-terapeuta e do TO. A AM gosta de trabalhar num tapete muito mole, o que faz com que o Afonsinho tenha muito mais dificuldades para se equilibrar, manter uma boa postura e de coordenação, ou seja, puxa muito mais por ele.

A AM esteve a explicar o caso do Afonsinho.

Explicou que os músculos trabalham em conjunto mas, no caso dele estão permanentemente em conflito, lutando para fazerem o mesmo trabalho e por isso ele tem tantas dificuldades motoras e de coordenação. Foi a primeira vez que ouvi esta explicação e pela primeira vez percebi o que se passava, quando tentava manipular ou agarrar um objecto, por exemplo.

A Rita perguntou-lhe se o padrão de extensão devia ser contrariado.

A AM é da opinião que não se deve contrariar o padrão o que se deve fazer é evitá-lo e caso não seja possível deixar fazer a hiper-extensão e que no caso dele, o importante é explicar-lhe, fazê-lo perceber, porque ele já consegue recuperar da hiper-extensão sozinho e por vezes já nem entra em padrão.

Olhando para mim, como quando diz a mãe não vai gostar do que eu vou dizer, disse que para ela o posicionamento, o bom posicionamento, SENTADO, numa cadeira adequada é fundamental para promover uma boa postura e para quebrar o padrão, não se deve andar com os meninos ao colo e se tiver que se andar, deverá ser sempre sentado.

Ao contrário do que a AM, possa pensar, eu concordo com ela, apesar que, durante os primeiros 10 meses, a fisioterapeuta que acompanhou o Afonsinho, era da opinião que devíamos contrariar sempre o padrão, tendo, inclusivamente, ensinado toda a família a fazê-lo. No Centro de Paralisia Cerebral a fisioterapeuta era, também, a contra a quebra do padrão mas, também não era a favor de o evitar, enfim...

Cada terapeuta tem a sua opinião e penso que todas elas tentam fazer o melhor, tendo em consideração o desenvolvimento e as competências que o Afonsinho consegue atingir em cada momento.

O meu grande problema, é como posicionar o Afonsinho na posição de sentado, para comer por exemplo, se ele pura e simplesmente, não quer e não deixa???

Ao contrário do que a AM, possa pensar e eu acho que ela não pensa, eu quero ouvir TUDO o que ela tem para me dizer, mesmo que não seja fácil de ouvir, TUDO o que tem para me ensinar...

Uma das razões que fez com que mudasse de terapeuta, foi saber, que com ela eu ia ouvir sempre o que ela pensava e não aquilo que, supostamente, gostava de ouvir.

Cheguei mesmo a dizer-lhe que trabalhando com ela, iria, possivelmente, ouvir algumas coisas duras de ouvir mas, eu prefiro.

O que eu detesto é que me bajulem e que digam ou façam aquilo que pensam que eu vou gostar de ouvir e de ver...

Nada mais errado!!!

A AM frisou a importância de trabalhar em equipa com todos os terapeutas, explicando que trabalhando de forma coordenadas estariam a fazer um trabalho muito mais eficaz em prol do desenvolvimento da criança e do objectivo final, potencialização das capacidades de forma a que sejam, o máximo possivel, funcionais.

O que se procura conseguir é "simplemente" isso, FUNCIONALIDADE!

Depois terapia da fala. A R., terapeuta da fala, continua com os exercícios respiratórios, para facilitar a emissão de sons e a comunicação oral.

Esteve a trabalhar com os animais e hoje contou com a a ajuda das estagiárias, em minha substituição e da mana' que durante uma parte da sessão estivemos só a ver.

A determinada altura sentámos o Afonsinho no degrau (o que trabalhamos na TO) e eu fui levantando os braços dele. A Rita ia incentivando-o, como fazíamos na piscina, o gigante, o avião, sempre muito alegre, a cantar, a bater palmas. A terapeuta da fala, ia fazendo os exercícios, cada vez que colocava a mão (o punho) no diafragma, o Afonsinho dava um pulo e eu arrepiava-me.

Estes exercícios parecem ser bastantes agressivos e foi com muito sofrimento, que hoje assisti e ajudei a fazer estes exercícios.

A sessão acabou mas, continuámos um bocadinho mais com as estagiárias a trabalhar, a Ritinha, cantava, batia palmas, toda a alegria e dinâmica das aulas da piscina foram transportadas para o colchão.

Estava a falar com a Assistente Social para tirar algumas duvidas em relação ao subsidio para a creche, quando ela olhando para o Afonsinho todo carinhoso e feliz ao colo da Ritinha, disse com uma voz melosa e docinha que também queria, a auxiliar, dizia que era inacreditável como ele estava tão bem.

Pronto, lá tive que contar que ela era terapeuta do Afonsinho e que ele a adorava!!!

Quem é que não adora uma pessoa assim?

Tão dedicada, tão querida, com um coração TÃO cheio de amor...

Hoje, uma vez mais, ficou provado como estamos no bom caminho, como o nosso caminho está cheio de pessoas que nos amam e a quem nós amamos...

3 comentários:

ClaudiaMG disse...

Oh minha amiga como conseguiste alegrar o meu coração. Apesar de me teres contado a sessão na Liga, agora ao ler-te senti-te mais entusiasmada ainda e fiquei feliz, muito feliz mesmo.
Como vês as opções que tens tomado até aqui só têm sido positivos, demosntrando assim que estás no bom caminho.

Quanto à "barraca do cigano", tenho a dizer-te que tens uma barraquinha muito arranjadinha. Se precisares de mais umas maozinhas já sabes que podes contar comigo.

Beijinhos especiais

P.S.: Acho que consigo ler todo o teu Blogue ainda hoje????
LOL....estou cá com uma insóniaaaaaaa

Maria disse...

Tive uma ideia!...
Que tal a avó Maria tomar conta dos rantonses, e os crescidos liparem a "barraca"?????
Quanto á nossa A.R. a alegria é contagiante e nós também gostamos dela com todo o nosso coração.
O rapaz está crescido, e com uns grandes músculos, e está a precisar de férias, tem trabalhado imenso!

VIVA AS FÉRIAS ESTÃO A COMEÇAR A CHEGAR É MUITO BOM, VIVA..........
Beij. especiais :)

Anónimo disse...

Olá D.,

Bem, fiquei babada com o elogio, mas confesso (e o João que não veja o que escrevi): ESTOU APAIXONADA PELO AFONSINHO! :)

Tenho andando um pouco desaparecida, mas como sabe é por boas razões...

Também já tenho muitas saudades de vos ter na piscina...

O que acha de irem um sábado ao Vasco da Gama, nem que seja por menos tempo, só para matarmos as saudades... Diga que SIM...!

Quanto à sessão de Fisioterapia, gostei muito de ver o Afonsinho. Obrigada por me ter deixado assistir e à fisioterapeuta A.M. por me ter recebido.

Foi uma sessão muito produtiva não só para o Afonsinho mas também para mim, porque pude aprender mais, e esse é e será sempre o meu objectivo!

Bjs Grds com saudades
Rita

O que é paralisia cerebral?

"A criança com Paralisia Cerebral tem uma perturbação do controlo da postura e movimento, como consequência de uma lesão cerebral que atinge o cérebro em período de desenvolvimento.
(...)A criança com Paralisia Cerebral pode ter inteligência normal ou até acima do normal."

Retirado de "A criança com paralisia cerebral" - Guia para os pais e profissionais da saúde e educação APPC
Hoje caminho, o céu está azul, o sol brilha esplendoroso, oiço o chilrear dos passarinhos e o silêncio...
O silêncio no meu coração,
Os momentos, os meus momentos felizes...
Oiço o riso das crianças, cheiro a maresia que vem do mar, caminho descalça pela areia, continuo a sonhar.
Sonho, que o teu limite é o sonho e que o teu caminho, tem tantos obstáculos, uns já vencidos e outros, tantos outros, por vencer...
Dificil, é este nosso caminho mas, sei que embora seja feito devagar, muito devagar, sei que chegaremos ao destino deste nosso caminho que se faz caminhando...

Dina

Sou uma caminhante na estrada do aprendizado do amor. Às vezes, exausta, eu paro um pouquinho. Cuido das dores. Retomo o fôlego. Depois, levanto e seduzida, enternecida pelo chamado, cheia de fé, eu prossigo. Um passo e mais outro e mais outro e mais outro, incontáveis. Sei de cor que não é fácil, mas sei também que é maravilhoso olhar para o caminho percorrido e perceber o quanto a gente já avançou, no nosso ritmo, do nossos jeito, um passo de cada vez.

Ana Jácomo
E Deus continua susurrando: Não desista, o melhor ainda está por vir...
Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.

Dalai Lama

O amor é um caminho que clareia, progressivamente, à medida em que o percorremos, como se cada passo nosso fizesse descortinar um pouco mais a sua luz.
A jornada é feita de dádivas e alegrias, mas também de imprevistos, embaraços, inabilidades, lições de toda espécie.
De vez em quando, tropeçamos nos trechos mais acidentados. Depois, levantamos e prosseguimos: o chamado do amor é irrecusável para a alma. Desistir dele, para ela, é como desistir de respirar.


Ana Jácomo
Quando eu deixei de olhar tão ansiosamente para o que me faltava e passei a olhar com gentileza para o que eu tinha, descobri que, de verdade, há muito mais a agradecer do que a pedir. Tanto, que às vezes, quando lembro, eu me comovo. Pelo que há, mas também por conseguir ver.

Ana Jácomo
Nem sempre querer é poder, porque às vezes a gente quer, mas ainda não pode. Ainda não consegue realizar.
Não faz mal: a vontade que é legítima, alinhada com a alma, caminha conosco, paciente, fresca, bondosa, até que a gente possa. Às vezes, isso parece muito longe, mas é só o tempo do cultivo. As flores, como algumas vontades, também desabrocham somente quando conseguem


Ana Jácomo
Depois de cada momento de fraqueza, meu coração prepara, em silêncio, uma nova fornada de coragem.
Às vezes cansa, sim, mas combinamos não desistir da força que verdadeiramente nos move.

Ana Jácomo

Todos os direitos reservados